Início

Narrativa, Média e Cognição 2018

Apresentação e Chamada de Trabalhos

O Colóquio Narrativa, Média e Cognição vai na sua quinta edição – depois de se ter iniciado na Universidade do Minho em 2014, passado pela Universidade Católica Portuguesa em 2015, pela Universidade do Porto em 2016 e em 2017 pela Universidade da Beira Interior.

A edição de 2018, que decorrerá entre 9 e 10 de novembro de 2018, será acolhida pelo CIAC –Centro de Investigação, na Universidade do Algarve– em coorganização com o Grupo de Trabalho “Narrativas Audiovisuais” da AIM –Associação de Investigadores da Imagem em Movimento– e a SPVJ –Sociedade Portuguesa de Ciências dos Videojogos. Constitui, assim, mais uma oportunidade para promover as já habituais reflexão e discussão conjuntas em torno de uma temática tão frutífera e inesgotável, situada no cruzamento entre várias áreas científicas. No dia 10 de novembro terá lugar um Workshop em Narrativas Digitais.

Se o ponto de partida é a narrativa no sentido mais lato do termo, não deixará de ser analisado o papel central dos media nesse processo, quer na aceção de meios de circulação das narrativas, quer como impulsionadores de novas estruturas narrativas a partir das linguagens próprias que os compõem.

Este V encontro concederá especial atenção às narrativas marginalizadas (embora não restringindo o foco a esta temática), que se situam num campo de trabalho que o CIAC tem vindo a explorar e cujo debate crítico importa fomentar: as culturas marginalizadas.

Pretende-se, portanto, que os trabalhos incidam de modo particular sobre o estudo, a compreensão e a divulgação de práticas narrativas. Estas serão entendidas enquanto produtos semióticos que convergem no facto de viverem em permanente oscilação quanto ao reconhecimento e aceitação que a cultura erudita lhes dedica ou retira. Correspondem estes fluxos de aceitação/rejeição a períodos cíclicos da História, que, em virtude dos movimentos estético-culturais vigentes, predispõem estes produtos à absorção da cultura de massas e da cultura popular.

São as interseções provocadas pelos movimentos de reconhecimento de práticas narrativas populares pela cultura erudita (muitas vezes em franca concatenação com ideários políticos ou agendas que regem determinados códigos criativos e estéticos) que conferem a grande especificidade a estas manifestações e as distinguem de outras práticas. A título de exemplo, narrativas associadas a um âmbito popular, como a literatura de tradição oral (nos seus diversos géneros literários), granjearam, das elites, em determinadas épocas, um espaço de acolhimento amplo e incontestável, ao qual se seguiram, em fluxos comprovadamente trans-históricos, a sua perda de influência e de interesse por esses centros decisórios de intervenção cultural e política. Por outro lado, estas narrativas suscitaram (e continuam a suscitar) pertinentes questionamentos de âmbito cognitivo, devido aos mecanismos próprios do suporte memorial e da transmissão oral que as dotam de características únicas. Efémeros e volúveis, por vezes fragmentários, os seus padrões narratológicos recordam, segundo o paralelo que é possível traçar, a efemeridade, a performatividade e a instabilidade dos formatos narrativos característicos dos novos média.

Deste modo, a abordagem crítica e teórica das múltiplas modalidades narrativas, na sua vinculação a práticas culturais ou comunicativas de cariz marginal ou de massas, seja numa perspetiva diacrónica como sincrónica, centrada em práticas do passado como do presente, confere a esta edição do Colóquio um interesse abrangente e transdisciplinar. Procurar-se-á, enfim, provocar uma discussão ativa e permanente sobre a criação e a fruição das narrativas em associação com os diversos suportes e linguagens gerados pelos canais mediáticos, sejam eles quais forem.

Assim, a Comissão Organizadora do V Colóquio Narrativa, Média e Cognição convida todos os interessados a submeterem propostas de comunicação (de 20 min.) relacionadas com as áreas temáticas definidas.

Áreas temáticas

  • Narrativa e comunicação;
  • Narrativa no cinema, videojogos, arte interativa, intermedia e transmedia;
  • Novas poéticas e estruturas narrativas (modelos não-lineares e multilineares, hibridismo);
  • Papel da narrativa na cognição e na organização do conhecimento;
  • Narrativas históricas, sociais e políticas (análise dos mitos, métodos historiográficos, discursos da identidade coletiva e da alteridade, utopias e distopias sociais, etc.);
  • Narrativas e culturas marginalizadas;
  • Ética, fake news e pós-verdade;
  • Outros temas relacionados.

Publicação

No final do Colóquio,o CITAR Journal irá organizar um número especial dedicado ao tema Narrativas, Média e Cognição onde serão publicadas as comunicações selecionadas.

Datas Importantes

  • Submissão das propostas de comunicação: até 31 de julho de 2018.
  • Comunicação de aceitação das propostas: até 8 de setembro de 2018.
  • As inscrições são gratuitas e decorrem até 22 de setembro de 2018.

Submissão de Propostas

As propostas de comunicação deverão ser submetidas através do sítio do congresso até ao dia 31 de julho de 2018. Delas constarão o resumo da comunicação (máximo 10 linhas) e 5 palavras-chave, o nome do autor/autores, contactos, afiliação e uma breve nota biográfica (máximo 5 linhas). Os autores deverão seguir as instruções fornecidas no sítio do congresso. As propostas serão avaliadas pela Comissão Científica e a decisão final será comunicada de forma individual aos autores. Aceitam-se trabalhos nas línguas portuguesa, espanhola, inglesa e francesa. Prevê-se a edição de um volume temático com as contribuições do colóquio, cujos pormenores serão fornecidos oportunamente.

Programa

Brevemente disponível.

Orador Convidado

Arnaldo Saraiva nasceu em 1939, em Casegas (Covilhã).

É professor universitário, investigador científico e literário, ensaísta, cronista e poeta.

Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, doutorou-se na Faculdade de Letras do Porto, onde exerceu a função de docente de Estudos Brasileiros e Africanos. Foi leitor de Língua e Literatura Portuguesa e Brasileira na Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara (U.S.A.) e professor convidado da Universidade de Paris III (Sorbonne Nouvelle).

Fez estudos superiores no Rio de Janeiro, onde preparou a tese “Carlos Drummond de Andrade: do Berço ao Livro”. Em Paris fez estudos sob orientação de Roland Barthes, A.J. Greimas e Gérad Genette, e estudou ainda em Urbino.

Foi dirigente da Cooperativa Árvore e do Boavista Futebol Clube. Colaborador da Radiotelevisão Portuguesa, da Radiodifusão Portuguesa (Antena1) e de várias publicações portuguesas e estrangeiras. Colaborou ainda na Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura. Foi também o fundador do Centro de Estudos Pessoanos, co-dirigindo a revista “Persona” e o Jornal “O Boavista”, o qual fundou.

Comissões

Comissão Organizadora

  • Mirian Tavares (CIAC/UAlg)
  • Bruno Mendes da Silva (CIAC/UAlg)
  • Ana Isabel Soares (CIAC/UAlg)
  • Sandra Boto (CIAC/UAlg)
  • Neuza Costa (CIAC/UAlg)
  • María Jesús Botana Vilar (CIAC/UAlg)
  • Paulo Falcão (CIAC/UAlg)
  • Susana Costa (CIAC/UAlg)
  • Juan Manuel Escribano Loza (CIAC/UAlg)

Comissão Científica

  • Nelson Zagalo
  • Guilhermina Castro
  • Mirian Tavares
  • Ana Isabel Soares
  • Bruno Mendes da Silva
  • Sandra Boto
  • María Jesús Botana Vilar
  • Neuza Costa
  • Paulo Falcão
  • Pedro Ferré
  • José Bidarra
  • Gabriela Borges
  • Fátima Chinita
  • Jorge Palinhos
  • João Manuel Minhoto Marques
  • Isa Mestre

Contactos

E. narrativamediacognicao@ciac.pt T. +351289800914 | Ext. 7541 Campus da Penha, Estrada da Penha 8005-139 Faro Coordenadas GPS 37° 1′ 43″N, 7° 55′ 29″W